| [ outros espaços ] : intro

008.17A_Logo-01

A ubíqua existência de espaços urbanos negligenciados em Portugal, pequenos espaços entre edifícios proeminentes, espaços de transição, propriedades sem dono, sem noção de pertença, representa um incentivo urgente para uma investigação que aborde este fenómeno. Assim surge [ país regiões : beja | outros espaços ], como parte de um projeto mais abrangente [ país regiões ] que analiza situações semelhantes em várias cidades do país. O mote para a investigação foi desencadeado pela questão

‘Poderá uma metodologia projectual baseada na criação de estruturas informais desenvolvidas através de processos participativos – criados em colaboração entre arquitectos/artistas, população local e governo local – fomentar uma apropriação e ocupação espontânea de espaços urbanos negligenciados em Áreas de Reabilitação Urbana (ARUs), Portugal?’

Através de uma dialéctica que liga teoria e prática, o fenómeno é investigado segundo quatro temáticas principais: outros espaços, estruturas informais, participações e estado nómada. Estas levaram a formulação de uma metodologia experimental a qual será posta em prática na ARU de Beja (no bairro social Beja II), como um caso paradigmático que tenciona informar futuras políticas de planeamento urbano em cidades de pequena escala.  O objectivo desta investigação é atingir um estado nómada, i.e. transformar os espaços negligenciados através de um envolvimento equitativo de quatro actores principais no processo: população local (moradores e utilizadores do bairro Beja II), artista/arquitecto (atelier urban nomads), associações locais e governo local (CMB), como alternativa à recorrente abordagem tecnocrática no que diz respeito a intervenções no espaço público.

Beja II é um bairro social que data dos fins dos anos 70, pós 25 de Abril. De momento apresenta problemas de infra-estrutura, assim como graves problemas sociais (população idosa, elevada percentagem de moradores desempregados, problemas de tráfico de droga). Será o caso-de-estudo para a metodologia a qual será desenvolvida em duas fases. Metodologia essa que resulta de uma investigação de base teórica e de experiência prática em projectos com características semelhantes. A mesma irá dar origem a um documento cujo formato deverá ser acessível aos quatro actores principais no processo servindo de metodologia para a revitalização de outros espaços concentrando-se nas características do bairro e dos seus habitantes, no envolvimento participativo daqueles envolvidos no projecto e, principalmente, nas crianças do bairro servindo como uma ferramenta pedagógica que possa também vir a contribuir para a valorização dos espaços públicos, espaços partilhados, incentivando o gosto por ‘faze/construir’.

O projecto será desenvolvido em duas fases.

: fase I :

Outubro 2014 – Verão 2015 : será feito um levantamento das características do bairro (físicas e sociais) utilizando metodologias etnográficas de forma a valorizar os espaços públicos e dos habitantes locais através. A informação recolhida será exposta através intervenções a nível das artes plásticas e performativas desenvolvidas em colaboração com a CMB, JF, Escola de Santiago Maior e com as associações locais.

: fase II :

Outubro 2015 – Verão 2016 : será desenvolvida e implementada uma estratégia de melhorias nos espaços comuns/públicos do bairro. Esta irá resultar das observações feitas durante a Fase I e deverá materializar-se em construções pensadas, desenvolvidas e postas em prática numa parceria entre a CMB, atelier urban nomads, e residentes/actores locais (incl. escolas & associações locais).

A segunda fase está dependente do financiamento angariado ao longo da 1ª fase. Financiamento esse que deverá resultar de um esforço colectivo das várias entidades envolvidas no projecto de forma a partilhar a autoria e responsabilidades nele implicadas.
[ país regiões | beja ] é um projecto desenvolvido pelo atelier urban nomads em colaboração com a Câmara Municipal de BejaJunta de Freguesia de Santiago Maior e São João BaptistaAssociação Sementes de VidaAssociação ArruaçaAgrupamento de Escolas nº1 Beja – Santiago MaiorAssociação de Condomínios e todos os residentes do bairro envolvidos.

A investigação desenvolvida é a base prática da tese de Doutoramento de Luísa Alpalhão, Doutoramento em Arquitectura por Design, Bartlett, University College London.

– – – – –

The ubiquitous existence of urban neglected spaces in Portugal, small spaces in-between prominent buildings, spaces of transition, properties with unknown ownership, no feeling of belonging – were the incentive that triggered the urgency to investigate this phenomena through a thorough research. [ país regiões : beja | outros espaços ] is the materialisation of the research and part of a broader project [ país regiões ] that analysis situations with similar characteristics across different cities in the country. The investigation started with the question

‘Can a design methodology based on the creation of informal structures through participatory processes – collaboratively created between architects/artists, local people and local government – encourage an ad hoc appropriation and inhabitation of neglected urban spaces in ARUs (Areas of Urban Regeneration), Portugal?’

Through a dialectic that relates theory and practice, the phenomena is investigated following four main themes: other spaces, informal structures, participations and nomadic status. These lead to the development of an experimental methodology that can be applied in Beja’s ARU (in Bairro Social Beja II – Housing Estate), as a paradigmatic case which intends inform future planning policies in small scale cities. The aim of this research is to reach a nomadic status, i.e. to transform the neglected spaces through the equitable involvement of all four actors participating in the process: local population (residents and users of Beja II), artist/architect (atelier urban nomads), local associations and local government (CMB), as an alternative to the recurring technocratic approach to planning and interventions in public spaces.

Beja II is a Social Housing Estate built in the late 70s, after the 1974 revolution (25 de Abril). It is currently facing infra-structural problems as well as serious social problems (ageing population, high percentage of unemployed tenants, drug traffic). The neighbourhood will be the case study for the methodology being tested. The methodology consists of two phases and results from a theoretical foundation as much as from a practical one based on projects with similar characteristics. It will lead to the development of a document which should have a format accessible to all four main actors in the process. It intends to be useful for the regeneration of other public spaces focusing on the characteristics of the neighbourhood and its inhabitants. It is centered in a participative involvement of those who are part of the project, specially children from the neighbourhood. It is meant to also work as a pedagogical tool that will help raising awareness of the importance of public space, shared spaces. It should work as an incentive to get people passionate about ‘making’ by themselves.

The project will happen in two phases:

: phase I :
October 2014 – Summer 2015 : an etnographic documentation of the characteristics of the neighbourhood (social and physical) will be made in order to bring value to the existing public spaces and local inhabitants. The information collected will be shared through artistic and performative interventions developed in collaboration with the CMB, JF, Escola de Santiago Maior (school) and local associations.

: phase II :
October 2015 – Summer 2016 : a strategy for the improvement of the shared/public spaces in the neighbourhood will be set in place. It will result from the observations and studies developed in phase I. It should materialize in the construction of spaces developed in partnership with the CMB, atelier urban nomads and local inhabitants (incl. School children and local associations).

The second phase will depend on the financial support gathered along phase I. The financial support should result from a collective effort amongst all the entities involved in the project as a way of sharing authorship and responsibility.

[ país regiões | beja ] is a project developed by atelier urban nomads in collaboration with Câmara Municipal de Beja (Beja’s Municipality), Junta de Freguesia de Santiago Maior e São João Baptista, Associação Sementes de Vida, Associação Arruaça, Agrupamento de Escolas nº1 Beja – Santiago Maior, Associação de Condomínios and all the local residents involved.

The research developed is main project of Luísa Alpalhão (arch.) PhD thesis by design for her PhD at the Bartlett, University College of London.

Anúncios